18 maio 2014

fugaz eternidade

Ela dizia-lhe que lhe estava grata. Menos pelas mentiras. 

Ele não dizia nada. Apenas lhe murmurava ao ouvido que não tinha tido outro remédio.

Ela virava a cabeça. E ele garantia que, apesar de tudo, ela era a mais bonita. 

Nunca mais se viram. 

Ele continuou com as mentiras. E ela com a beleza. Afinal eram eternos. 





Sem comentários:

Enviar um comentário