20 junho 2014

prefácio

Há, sim há, pessoas que são livros. Os livros, que são um discorrer de folhas, cheias de palavras, que dizem tantas imensuráveis emoções. Até sentimentos. Até choques que se apalpam, que se tocam. 

Há pessoas que são livros. Há pessoas que são livros cheio de palavras que se dizem, que se calam, que se escondem. Eclodem. 

Há pessoas que são livros sem fim. Tão densas e compostas que há quem só lhes consiga ler o prefácio. 

Mas enfim. 


Sem comentários:

Enviar um comentário